Área Pública
»

Página Inicial

Comissão Pedagógica
Escolas Associadas e Entidades Parceiras
Estutura do Centro
Formulários
Inquéritos
Publicações e Recursos
Legislação
Centros de Formação
Contactos do Nova Ágora

Ação de Formação
 

Curso de Formação - PERCURSO(S) NAS CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO: 1.º CICLO DE CONFERÊNCIAS




Todas as informações disponíveis AQUI

Inscreva-se AQUI

Palácio Sacadura Botte - Coimbra

Início a 18 de novembro de 2017


 


AÇÃO DE CURTA DURAÇÃO - A aprendizagem das células: biologia reprodutiva e células estaminais




Todas as informações disponíveis AQUI

Inscreva-se AQUI até às 12h00 do dia 16 Nov. 2017

Centro de Neurociências e Biologia Celular, Universidade de Coimbra

20 e 22 de Novembro, das 18h às 20h


 


Ação de curta duração - MANUEL ANTÓNIO PINA – Pensar de Pernas para o Ar




Todas as informações disponíveis AQUI

Inscreva-se AQUI

Coimbra

11 e 18 de novembro de 2017


 


PLANO DE FORMAÇÃO DO NOVA ÁGORA - CFAE 2016-2019






Consulte o pdf



 

 
APD13-1 - Perfil ético dos professores na sociedade do conhecimento

Nº ACREDITAÇÃO:

Formadores
 



 
Local de Realização
  Escola Secundária D. Duarte e Auditório da FPCEUC
 
N.º de Horas

   Presenciais:
 Não Presenciais:
 
Calendarização
  CALENDÁRIO PREVISTO:
4 Fevereiro (09h30 – 12h30) - Esc. Sec. D. Duarte
11 Fevereiro (09h00 – 13h00) - Esc. Sec. D. Duarte
18 Fevereiro (09h30 – 12h00) - Auditório da FPCEUC
11 Março (14h00 – 16h30) - Auditório da FPCEUC
18 Março (09h30 – 12h30) - Esc. Sec. D. Duarte
 
Modalidade
  Curso de Formação
 
Destinatários/Público Alvo
  PESSOAL DOCENTE: educadores de infância e docentes do Ensino Básico e Secundário das escolas do Nova Ágora -CFAE
 
Objetivos
  O estudo Perfil ético dos professores na sociedade do conhecimento parte do princípio que o professor do terceiro milénio não pode atribuir o papel mais importante da sua ação à transmissão de conhecimentos, função facilmente assumida pelas novas tecnologias com grande capacidade de armazenamento de informação, nem pode desejar que as boas práticas da sua profissão advenham de uma obediência cega, fria e acrítica à legislação docente. Quer isto dizer que o professor, não deixando de reconhecer a importância do conhecimento e da observância à lei, deve, acima de tudo, fazer brotar a sua ação de um conhecimento profundo, multifacetado e refletido das suas principais incumbências enquanto profissional da educação, em particular as que se relacionam com a ética, entendida como uma área que tem por objeto a experiência e o comportamento dos seres humanos, considerados sob o prisma do reto ou do não reto. O professor da sociedade do conhecimento, talvez como o de todas as outras eras, tem de saber, isto é, considerar o conhecimento científico da ‘matéria’, devendo também saber fazer, ou seja, saber como ensinar e promover de forma inovadora a construção do conhecimento, enfatizando, mais do que antes, o saber ser e estar com, dimensão ética relativamente à qual talvez importe escutar o que os diversos parceiros da comunidade educativa têm a dizer, em especial os alunos, dado serem eles os que mais tempo passam com os professores.
Talvez o que importe, no meio de tudo isto, seja, tal como refere Pessoa (2007), efetuar travessias, que conduzam o professor pelas janelas de onde outros olhares veem, o que implica uma aposta inequívoca no campo da reflexão, da sujeição da sua ação a momentos de auto, hétero e meta avaliação. Com efeito, o que o professor tem de fazer diferente, em comparação com os seus antepassados, talvez seja encetar uma caminhada que, rodeada por um denso mar de procedimentos burocráticos e programas a cumprir, abra lugar ao tempo em que se tem tempo para pensar a ação e para se (re)pensar ante o outro, que aqui se entende, sobretudo, como o aluno. O que se espera do professor parece ser, sobretudo, que ele guie o aluno (Marques, 1998) e o introduza em redes de conhecimento, através de uma sábia capacidade de escuta, (re)orientação e adequação ao contexto, o que necessariamente, exige capacidade reflexiva. Apropriar conhecimento e ensino transmissível têm de abrir lugar para o conhecimento em rede, onde faz todo o sentido ligar e sistematizar conhecimentos, dar-lhes sentido, contextualizá-los e compreendê-los.
Ensinar e aprender implica que tenhamos um espelho onde (nos) possamos observar para nos (re)compormos para o encontro com os filhos de uma sociedade que se situa num espaço de estrutura reticular em que não se mora, viaja-se (André, 2009). É nestas viagens com e através do(s) outro(s), que formamos a nossa identidade, caraterizada, como lembra Amin Maalouf (2009), por múltiplas pertenças e, diríamos nós, por múltiplos valores, de comportamentos retos e não retos, uma ética pessoal e profissional.
O autoconhecimento é tão fundamental no processo educativo, como o é o conhecimento dos alunos e da disciplina que se leciona, no entanto, este conhecimento de si próprio e do perfil que a sociedade do conhecimento exige ao professor não podem ter fundamento, única e exclusivamente, nos inputs dados pelo próprio eu nem numa legislação não raras vezes desligada do contexto. Acreditamos que uma observância do perfil ético do professor, proporcionada por formas de participação e expressão dos alunos e dos próprios professores, será uma das formas capaz de apontar direções para a educação da sociedade do conhecimento.
É neste contexto que pareceu fazer todo o sentido desenvolver o estudo a que nos propomos num CFAE com os alunos e professores das escolas que lhe estão agrupadas, através dos quais nos fosse possível descobrir perspetivas sobre o perfil (ético) dos professores, que entendemos capazes de nos apontar direções para o caminho que necessitamos de percorrer enquanto professores desta nova era, de que são exemplo as que apresentámos já na Ação de Curta Duração “Perfil ético do professor na sociedade do conhecimento”, desenvolvida a 9 de janeiro de 2016 em colaboração com a FPCEUC e os CFAE Nova Ágora e Minerva, e no n.º 5 da revista Nova Ágora. Ora, é por entendermos que as considerações emergentes deste trabalho podem contribuir para a (re)construção do(s) perfil(s) ético(s) do professor, área sobre a qual os sujeitos em estudo manifestarem interesse em aprofundar e desenvolver, assim como para a dissolução de muitos dos dilemas com que se defronta no seu dia a dia, que propomos esta Ação de Formação, em colaboração com o Centro de Formação e de Associação de Escolas (CFAE) Nova Ágora, que, importa sublinhar, foi o CFAE selecionado para o desenvolvimento do estudo que sustenta esta proposta.
O evento, com supervisão e coordenação científica e pedagógica da Faculdade de Psicologia e Ciências de Educação da Universidade de Coimbra, procurará ser um momento de partilha, encontro de saberes e experiências potenciadores de trilhos de aprendizagem para professores no século XXI.

Na prossecução do objetivo geral, conhecer e refletir criticamente o perfil ético dos professores na sociedade do conhecimento para a população em estudo, definiu-se como relevante para o estudo os seguintes objetivos específicos:

(1) Caraterizar o conhecimento que os professores têm acerca dos seus direitos e deveres.
(2) Dar lugar a uma reflexão crítica e formativa sobre o perfil ético dos professores na sociedade do conhecimento.
(3) Promover a aquisição de competências de observação e análise reflexiva acerca dos casos problema identificados pelos sujeitos em estudo (alunos e professores das escolas agrupadas ao CFAE Nova Ágora) ao nível da compreensão da origem, desenvolvimento e fatores de manutenção desses mesmos problemas;
(4) Promover a aquisição de competências de intervenção, quer ao nível da prevenção quer ao nível da resolução e gestão dos problemas identificados.
 
Conteúdos
  A Ação de Formação será organizada em 7 componentes, distribuídas por 5 sessões, com duração final de 15 horas:

Sessão 1 (04/02/2017)
Componente 1: Apresentação do programa do Curso (Perfil Ético dos Professores do Século XXI), objetivos, metodologias, instrumentos e critérios de avaliação – (1 HORA)
Componente 2: Incidentes críticos da profissão docente – Comunicação breve subordinada ao tema da componente. Trabalho individual: recolha de incidentes críticos da profissão – (2 HORAS)

Sessão 2 (11/02/2017)
Componente 3: Redação das narrativas (incidentes críticos com proposta de solução/casos resolvidos), seguido de discussão em grande grupo – (1,5 HORAS)
Componente 4:
Comunicação e debate – (2,5 HORAS):
- (Comunicação parte I) Perfis éticos dos professores no século XXI – a confrontação de olhares de professores e alunos: os direitos e os deveres dos professores na relação pedagógica, expressos na legislação portuguesa; ética e moral, o compromisso ético de ir além da mera obediência à lei.
- (Comunicação parte II) Dos direitos e deveres dos professores na legislação portuguesa à prática reflexiva: apresentação de dados empíricos recolhidos junto das escolas agrupadas ao CFAE Nova Ágora.
- Debate.
- Momento de avaliação: registo escrito no diário de formação.

Sessão 3 (18/02/2017)
Componente 5: Aprender no século XXI – parte I (2,5 HORAS)
Comunicação 1: As Novas Tecnologias ao serviço da aprendizagem – exemplo de atividades através de dispositivos tecnológicos – (45 min.).
Comunicação 2: O professor do futuro (Que professor ambicionamos ter? O que precisa de saber o professor? Erros a evitar na profissão docente) – (45 min.).
- Debate subordinado às temáticas das comunicações 1 e 2 – (30 min.).
- Momento de avaliação: registo escrito no diário de formação sobre as conclusões apuradas das comunicações 1 e 2 – (30 min.).

Sessão 4 (11/03/2017)
Componente 6: Aprender no século XXI – parte II (2,5 HORAS)
Comunicação 1: O professor como artesão da escuta e do olhar ¬– (45 min.).
Comunicação 2: Aprender no século XXI – (45 min.).
- Debate subordinado às temáticas das comunicações 1 e 2 – (30 min.).
- Momento de avaliação: registo escrito no diário de formação sobre as conclusões apuradas das comunicações 1 e 2 – (30 min.).

Sessão 5 (18/03/2017)
Componente 7: Apresentação e debate da reflexão final subordinada ao tema “ser professor aqui e agora”, seguida da avaliação da Ação. – (3 HORAS)
 
Metodologia
  Tipologia das sessões:
• Os formadores, no início da primeira sessão, apresentarão os objetivos, metodologias, instrumentos e critérios de avaliação, dando assim cumprimento à componente 1 da formação.
• As componentes 2 e 3 da formação, parte integrante da sessão 1 e da sessão 2, respetivamente, serão concretizadas em regime de trabalho individual, com apresentação em grupo, sob a supervisão dos formadores ou outros especialistas convidados.
• As componentes 4 (sessão 2), 5 (sessão 3) e 6 (sessão 4) da formação serão concretizadas através de comunicações de cariz expositivo, seguidas de debate, da responsabilidade dos formadores ou de outros especialistas convidados. No final de cada uma destas componentes de formação será feito um momento de avaliação, caraterizado pelo registo em diário de formação.
• A sessão final de Avaliação, componente 7 da formação (sessão 5), realizar-se-á, em data posterior às sessões anteriores, para a apresentação e debate de conclusões registadas em diário, bem como para a avaliação da Ação.

Programa:
4 Fevereiro (09h30 – 12h30)
09h30 Sessão de abertura e apresentação do Curso
10h30 Incidentes críticos da profissão docente - Comunicação breve subordinada ao tema da componente. Trabalho individual: recolha de incidentes críticos da profissão – Coordenação a cargo de Sónia Rodrigues, doutoranda da FPCEUC, e de Teresa Pessoa (professora associada da FPCEUC)

11 Fevereiro (09h00 – 13h00)
09h00 Redação das narrativas (incidentes críticos com proposta de solução/casos resolvidos), seguido de discussão em grande grupo.
10h30 Comunicação e debate: Dos direitos e deveres dos professores na legislação portuguesa à prática reflexiva/Perfis éticos dos professores no século XXI – a confrontação de olhares de professores e alunos – Sónia Rodrigues (FPCEUC)

18 Fevereiro (09h30 – 12h00)
Temática geral do encontro: Aprender no século XXI (parte I)
09h30 Comunicação 1: As Novas Tecnologias ao serviço da aprendizagem
10h15 Comunicação 2: O professor do futuro (Que professor ambicionamos ter? O que precisa de saber o professor? Erros a evitar na profissão docente)
11h00 Debate, seguido de registo escrito no diário de formação sobre as conclusões apuradas das comunicações 1 e 2

11 Março (14h00 – 16h30)
Temática geral do encontro: Aprender no século XXI (parte II)
09h30 Comunicação 1: O professor como artesão da escuta e do olhar
10h15 Comunicação 2: Aprender no século XXI.
11h00 Debate, seguido de registo escrito no diário de formação sobre as conclusões apuradas das comunicações 1 e 2

18 Março (09h30 – 12h30)
10h00 Apresentação e debate da reflexão final subordinada ao tema “ser professor aqui e agora”, seguida da avaliação da Ação – Coordenação a cargo de Sónia Rodrigues e Teresa Pessoa.
 
Creditação
  * A formação acreditada pelo CCPFC para os efeitos previstos no ECD deixou de ser contabilizada em créditos. É contabilizada em número de horas.
 
Observações
  Esta Ação é uma parceria com a FPCEUC, em articulação com um projeto de investigação e pós-doutoramento desta instituição.

PERÍODO DE INSCRIÇÃO: entre 16 e 27 de janeiro de 2017

PRIORIDADES DE SELEÇÃO: 1.ª Docentes dos agrupamentos de escolas associados do Nova Ágora - CFAE; 2.ª Outros docentes.

OUTRAS OBSERVAÇÕES:
1 - N.º máximo de formandos a selecionar: 20
2 - Só serão consideradas válidas as inscrições no âmbito das prioridades de seleção definidas (consultar PRIORIDADES DE SELEÇÃO)
3 - A inscrição on line é uma pré-inscrição a qual só é validada com a confirmação dos dados nos serviços administrativos da escola do docente/não docente e com a aceitação da ficha de inscrição pelo CFAE.
4 - Deve verificar a sua seleção, no prazo indicado, na página do CFAE. Os inscritos não selecionados não serão contactados.
5 - Em caso de número insuficiente de inscrições, o CFAE reserva-se o direito de cancelar a formação;
6 - A calendarização pode vir a sofrer alterações;
7 - A inscrição na formação pressupõe a aceitação de que, para efeitos dos procedimentos relacionados com a formação, será prioritariamente notificado(a) através de correio eletrónico.
 
Avaliação
  Avaliação quantitativa dos formandos, expressa numa escala de 1 a 10 valores, nos termos da Carta Circular CCPFC - 3/2007, de Setembro de 2007, com base nos seguintes parâmetros e ponderação:

- Participação geral nas sessões – 25 %
Frequência, qualidade e oportunidade da participação oral nas atividades e no enriquecimento do processo formativo.

- Trabalhos escritos individuais nas sessões – 75 %
Relato de incidentes críticos – 10 %
Produção individual de, pelo menos duas, narrativas/casos resolvidos – 25 %
Realização de diário de formação ao longo das sessões (componente 4 a 6) – 20%
Reflexão final subordinada ao tema “ser professor aqui e agora” – 20%
 
Avançar