Área Pública
» Sex. 19 de Jan. de 2018


Página Inicial


Comissão Pedagógica
Escolas Associadas e Entidades Parceiras
Estutura do Centro
Formulários
Inquéritos
Publicações e Recursos
Legislação
Centros de Formação
Contactos do Nova Ágora

Atividades

FAQ do Nova Ágora

Ação de Formação
 

REGULAMENTO INTERNO DO NOVA GORA - CFAE






Consulte a SECO III Procedimentos



 


ESTAMOS A REMODELAR A PGINA DO NOVA GORA - CFAE NA INTERNET




Excetuando as inscries que esto abertas nesta pgina, encontram-se NOVAS INSCRIO EM CURSO NO NOVO SITE, a que pode aceder
AQUI

Pedimos desculpa pelo incmodo e prometemos ser breves na transio.







 

ACD72-1 - As cores da minha terra: Pensaco (pensamento + aco) sobre eu-cor-arquitectura-arte-ambiente - Mdulo II

Nº ACREDITAÇÃO: Desp. 5741

Formadores
 
Elvira Leite**


 
Local de Realização
  Portugal dos Pequenitos (Coimbra)
 
N.º de Horas

   Presenciais:
 Não Presenciais:
 
Calendarização
  20 de janeiro, das 10h00 s 13h00
 
Modalidade
  Ao de curta durao
 
Destinatários/Público Alvo
  PESSOAL DOCENTE: Docentes a lecionar no pr-escolar, 1 CEB ou 2. CEB, dos grupos 100, 110, 240, 600 ou 910 (cf. CONDIES E PRIORIDADES referidas em Observaes).
 
Objetivos
  A presente ao de formao insere-se no projeto Criar com Escolas, o qual tem previsto a realizao do trabalho As cores da minha terra, realizado no mbito das atividades do Servio Educativo do Portugal dos Pequenitos e tem por objetivo abordar temas transversais ao programa do referido trabalho, nomeadamente, a representao das cores e texturas das matrias-primas (materiais) caractersticos/especficos de cada regio. Constituem referncias deste trabalho a produo artstica e cientfica de Joseph Cornell e Jean-Philippe e Dominique Lenclos.
O trabalho As cores da minha terra visa sensibilizar os participantes a observar a natureza (patrimnio natural) e as construes locais (patrimnio construdo). As construes tradicionais eram realizadas a partir das matrias-primas locais. Deste modo, o participante vai estar atento s cores, texturas e outras especificidades dos materiais locais que depois de extrados da natureza foram utilizados/transformados nas construes tradicionais dos ncleos urbanos histricos. O culminar do projeto em parceria com escolas prev a realizao de uma exposio, na qual sero expostos os trabalhos realizados pelos alunos das escolas que participam no projeto, seja o produto final, como tambm o processo de investigao que foi desenvolvido ao longo do trabalho. Esta ao de formao tem por objetivo abordar temas transversais ao programa do referido trabalho e como metodologia tem previsto uma componente terica e outra prtica.
A proposta de trabalho final a expor o levantamento dos materiais locais, nomeadamente rochas, areia, argila, flora e vegetao, etc., que devero ser colocados numa caixa (tampa de uma caixa de carto de resmas de papel A4), devidamente compartimentada. Por sua vez, os compartimentos devero ser revestidos por fundos com cores e texturas que destaquem as caractersticas dos materiais a expor.
A ligao escola-meio um propsito consignado nos objetivos educativos do Servio Educativo do Portugal dos Pequenitos. O Servio Educativo da instituio cultural o Portugal dos Pequenitos abre-se escola apresentando uma programao apelativa, que integra esta modalidade de formao creditada para professores e educadores. Esta iniciativa, prope aprendizagens atravs de motivadoras atividades educativas, que desenvolvem conhecimento, sensibilidade, criatividade e valores de cidadania. uma formao que introduz inovao na ao educativa.
Esta formao constituda por trs mdulos, de trs horas cada: mdulo I Ensaios sobre a inter-relao eu-espao-cor-memria; mdulo II Pensaco (pensamento + aco) sobre eu-cor-arquitectura- arte-ambiente; mdulo III Construo de projectos de aco a desenvolver na sala de aula.

OBJECTIVOS:
Promover relaes interdisciplinares tomando o universo da cor como pretexto;
Desenvolver a criatividade em educao;
Sensibilizar para diferentes formas de comunicar;
Integrar valores estticos nas estratgias ensino-aprendizagem;
Desenvolver a ateno ao meio envolvente, a acuidade visual e o pensamento divergente;
Promover a comunicao por cores, formas e organizao de espaos;
Potenciar a escola como factor estratgico de mudana;
Promover a criao de situaes que favoream o conhecimento de si prprio e um relacionamento positivo com os outros;
Favorecer o desenvolvimento progressivo de sentimentos de autoconfiana;
Favorecer uma construo pessoal assente nos valores da iniciativa, da criatividade e da persistncia;
Valorizar a dimenso sensorial na sua relao com a expresso;
Partilhar experincias afectivas e biogrficas entre pares;
Dar resposta a uma proposta que estimula a inveno, a recordao e imaginao;
 
Conteúdos
  Contedos implcitos: As possibilidades, limites, interferncias e inteligibilidades da cor na Arte Contempornea, na Arquitectura e na construo subjectiva da paisagem; Desenho e construo espacial simblica.
 
Metodologia
  Sesso de trabalho terica-prtica.

Sumrio das atividades (identificar):
1 hora: Apresentao da estrutura e objectivos da formao; apresentao das imagens produzidas pelos participantes na sequncia da primeira sesso.

2 hora: Apresentao expositiva sobre as possibilidades, limites, interferncias e inteligibilidades da cor na Arte Contempornea, na Arquitectura e na construo subjectiva da paisagem. Anlise e discusso a partir de algumas obras de autores fundamentais.

3 hora: Realizao de um exerccio-jogo que colocam os participantes numa dinmica de autodescoberta e construo plstica simblica introduzindo a cor no plano da interpretao pessoal com recurso a vivncias prprias.
Partilha e discusso dos resultados.

* SAMUEL SILVA (Santo Tirso, 1983)
Artista Plstico e Professor, vive e trabalha no Porto.
Os seus projectos tm explorado as relaes entre a prtica artstica e o seu contexto social, o envolvimento e participao do pblico em processos de criao colectiva, assim como desenvolvido experincias criativas que problematizam situaes intersticiais entre arte e educao.
Professor Auxiliar na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e na Escola Superior de Educao do Instituto Politcnico do Porto.
Mestrado em Prticas Artsticas Contemporneas, membro integrado no Instituto de Investigao em Arte, Design e Sociedade (I2ADS) da mesma instituio e doutorado em Educao Artstica com a tese "Desenhando-se. Inter-relaes entre a experimentao artstica e a construo de subjectividades em ambientes de aprendizagem".
Paralelamente desenvolve investigao independente em servios educativos de instituies ligadas cultura contempornea, colaborando mais frequentemente nos ltimos anos com o Museu de Arte Contempornea de Serralves, concebendo e coordenando cursos, aces de formao, conversas ou desenvolvendo projectos com carcter experimental.
Consulte tambm http://www.desenhando-se.com


** Elvira Leite nasce em 1936
Pintora, professora no ensino pblico, formadora, arte educadora, investigadora no campo da educao artstica e metodologia de trabalho por projectos
Como pintora, trabalha em atelier prprio e est representada em coleces nacionais
Como arte educadora concebe espaos de prtica criativa para crianas, adolescentes, jovens e adultos
programadora de projectos, envolvendo a arte, dirigidos a diferentes pblicos, de diferentes idades e diferentes contextos socioculturais
Consultora da UNESCO, exercendo a actividade de Conselheira na rea de "Educao Artstica", no mbito do Projecto BAD/UNESCO, 707/CVI/10-PRESE, Cabo Verde. Fornece orientao cientfica e metodolgica e elabora comentrios tcnicos sobre contedos curriculares M.E. apresentados em 1993/1994
Consultora sobre arte e educao em vrias instituies culturais nomeadamente no Servio Educativo da Fundao de Serralves de 1999 a 2014
 
Creditação
  No aplicvel.
A Ao rene as condies para ser reconhecida como Ao de Curta Durao, de 3 horas, nos termos do Despacho n. 5741/2015, de 29 de maio, para os efeitos previstos no Estatuto da Carreira Docente.
 
Observações
  A Ao uma iniciativa em parceria com a Fundao Bissaya Barreto/Servio Educativo do Portugal dos Pequenitos, no mbito do projeto Criar com Escolas, em parceria com os CFAE do distrito de Coimbra.

CONDIO DE FREQUNCIA: a frequncia da ao implica a inscrio/participao no Projeto Criar com Escolas

PERODO DE INSCRIO: de 3 a 14 de janeiro de 2018

PRIORIDADES DE SELEO: 1 Docentes j inscritos no projeto "Criar com Escolas"; 2. Docentes das escolas e agrupamentos associados dos CFAE do distrito de Coimbra, por ordem de inscrio (4 vagas cada CFAE; as vagas no ocupadas por um CFAE sero distribudas pelos restantes); 3. Outros docentes, por ordem de inscrio.

OBSERVAES:
1 - N. mximo de formandos a selecionar: 25
2 - S sero consideradas vlidas as inscries no mbito das prioridades de seleo definidas (consultar PRIORIDADES DE SELEO)
3 - A inscrio on line uma pr-inscrio a qual s validada com a confirmao dos dados nos servios administrativos da escola do docente/no docente e com a aceitao da ficha de inscrio pelo CFAE.
4 - Deve verificar a sua seleo, no prazo indicado, na pgina do CFAE. Os inscritos no selecionados no sero contactados.
5 - Em caso de nmero insuficiente de inscries, o CFAE reserva-se o direito de cancelar a formao;
6 - A calendarizao pode vir a sofrer alteraes;
7 - A inscrio na formao pressupe a aceitao de que, para efeitos dos procedimentos relacionados com a formao, ser prioritariamente notificado(a) atravs de correio eletrnico.
 
Avaliação
  Avaliao da Ao pelos formandos e pelos formadores atravs de Inqurito.
 
Avançar